HISTORIA

UNIÃO EUROPEIA DE PÁRA-QUEDISTAS

Em 1976  iniciaram-se os contatos entre as associações nacionais de veteranos para-quedistas europeus, com um primeiro encontro entre as associações da Alemanha, França, Bélgica e Itália.

Assim, logo em 1976 o General Heydte, da Bund Deustscher Fallschirmjager (BDF) de Alemanha, e o Coronel Romain Desfossés, da União Nacional de Pára-quedistas de França (UNP), trabalharam num projeto de criação de uma União Europeia de Pára-quedistas

 Em 1981 em Krems (Austria) efetuou-se um coloquio reunindo várias associações europeias para a criação de um comité provisório a fim de definir as modalidades de funcionamento da futura associação

 Pierre Vandevoorde, um oficial veterano para-quedistas é um dos fundadores e membros atuais da Região Gent-Artevelde da Bélgica, comentou que durante os anos 70 teria contatos regulares com amigos de unidades e associações de veteranos para-quedistas de diferentes países com o fim de elaborar um livro “Monografia de Pára-quedistas do mundo inteiro” e lançou a ideia da criação de uma união de associações para-quedistas na Europa. Livro que foi editado em 1981. 

     A oportunidade de apresentar e expor a propostas, foi numa reunião internacional de para-quedistas que se efetuou em Krems (Austria) en 1981.

     Cinco países declaram-se imediatamente interessados e designaram um presidente e um secretário provisório.

Em 1982, nos dias 17 e 18 de Abril realizou-se um novo coloquio, na Belgica

     DE uma dezena de associações convidadas, só três enviaram representantes, BDF (Alemanha) representada pelo Coronel R.Witzig, a ANPd´l(Italia) representada pelo General L: de Santis e a UNP (Francia) representada pelo Coronel Romain Desfossés.

 São definidas as bases da União Europeia de Pára-quedistas.

 Em 1989, o TCoronel M.Reeb do Conselho de Administração  da UNP decide, com o consentimento do seu presidente, o Comandante H.J. Loustau, relançar a Associação.

Depois de contatar com o Coronel K.H. Sander, Presidente Nacional da BDF, traçou um plano de ação para levar a cabo as iniciativas necessárias. 

     A primeira proposta foi realizar uma primeira reunião a 22 de setembro de 1989 em Paris, participando: Coronel K.H. SANDER do BDF (Alemanha), o General ANPd V. ROSSI'I (Itália), Coronel P. DESPRECHINS de ANPCV (Bélgica) e o comandante LOUSTAU H.J. a UNP (França).

O Tenente-Coronel M. REEB é nomeado como secretário-geral e apresenta um projecto de estatuto.

  O Coronel P. DESPRECHINS toma parte numa nova reunião em Schongau (Alemanha) em 25 de novembro deste ano 1989 e nessa reunião, o Conselho de administração da ANPCV (Bélgica), decide não aderir à Associação Europeia.

       Em  Fevereiro de 1990, realiza-se uma nova reunião com os Presidentes das associações  da Alemanha, França e Grecia.

 A Bélgica e a Itália, confirmar a sua não adesão, e  é aceite o Clube das forças especiais  do norte da Grécia, sendo seu Presidente, Sr. Constantino LIKOTRAFITIS.

 O Comandante H.J. Loustau, Presidente da UNP é eleito o primeiro Presidente executivo da U.E.P. 

É aprovado o Regulamento Interno.

    Em 29 de setembro de 1990, por ocasião da festa de St Michel, os presidentes nacionais são convidados para ir Paris. É apresentada a bandeira U.E.P. Estiveram  presentes as bandeiras da Alemanha, França e Grécia, que receberam o laço de União Europeia de pára-quedistas.

    Ocorreu uma reunião presidida pelo novo presidente nacional do UNP, General P. AUSSARESSES, assumindo as funções do comandante H.J. LOUSTAU

 O secretário-geral da UEP anuncia, que os veteranos pára-quedistas espanhões, estão determinados a integrar esta União, com a denominação, uma vez aprovado, Federação das associações de pára-QUEDISTAS da Espanha (FENASPE).

Em 19 e 20 de maio de 1991, desenvolve-se o primeiro Congresso da U.E.P. organizado na cidade de Tesalónica, (Grecia) pela Associação de grega, que toma como seu nome HCA (Associação Helênica de comandos).

 O Tema do congresso foi “ A Defesa da Europa” 

De 21 a 23 de junho de 1991 celebrou-se, em Alcantarilla (Murcia), as II Jornadas Socio cultural ar "AIRMUR-91", para as quais foram convidadas as delegações a UEP e outros, para a assinatura da adesão da FENASPE, assinatura que teve lugar no dia 22 perante o secretário geral Tenente Coronel M. REEB e Coronel SANDER, que foram convidados pelo Presidente da FENASPE Sr. D. Pedro MOTAS MOSQUERA

   Em 29 de setembro de 1991, durante uma reunião em Paris, foi apresenta a candidatura de adesão na UEP, a ANPd´I (Itália), pelo  seu presidente General F. DE VITA, que foi aceite   

 Cesa como presidente da UEP General AUSSARESSES de P., passando a Presidência para o Coronel K.H.SANDER (BDF) e Vice-Presidente Sr. k. LIKOTRAFITIS, presidente da Grécia (HCA).    

 De 10 a 15 de setembro de 1992, desenvolve-se o II Congresso da UEP, novamente organizado pelo HCA (Grécia) em Salónica.

      O tema do Congresso foi "A posição da Grécia no Oriente Médio".

15 de novembro de 1992 e em Pisa (Itália) por ocasião de eventos comemorativos da batalha de El Alamein, é imposta o laço da UEP no Guião do ANPd'I.

      1993, por ocasião da Assembléia Geral do BDF, realizou-se uma reunião da UEP em Bruchsal (Alemanha).

      III Congresso da UEP, decorreu de 8 a 15 de novembro em Salónica (Grécia), com os tema "técnica e tática airborne troops".

      No decorrer deste Congresso, foram aceites as adesões das associações nacionais de Portugal (UPP) e Chipre (PARC).

      É nomeado o presidente executivo da UEP (HCA) da Grécia, Sr. LIKOTRAFITIS, para Presidente,  que sucede ao Coronel SANDER da Alemanha e Vice-Presidente o General F.de VITA da Itália.

   1994. em 12 de março, em uma cerimônia realizada em Nicósia (Chipre) é imposta o laço da UEP no Guião do PARC.

     De 28 de setembro a 2 de outubro, o IV Congresso da UEP desenvolve-se em Tancos (Portugal) com o tema "O futuro das tropas Aerotransportadas". O laço da UEP é imposto no Guião da UPP. 

     1995 v Congresso da UEP. Durante os dias 7 a 13 de novembro este Congresso teve lugar em Alcalá de Henares (Madrid) e Alcantarilla (Murcia), por ocasião do III Jornadas AIRMUR

    O tema do Congresso "Evolução e consequências da necessidade de defesa"

     É dado relevo ao Presidente da UEP, General F. DE VITA do ANPd'I.

 

      1996 VI Congresso da UEP, que se desenvolve durante os dias 21 a 26 de maio em Bolonha (Itália) com o tema "as ações realizadas pelas tropas aerotrasportadas por causa da paz no quadro das missões internacionais".

O General de Divisão D. ANTONIO MUÑOZ MANERO, presidente da FENASPE, é nomeado responsável pela Presidência executiva do UEP.

       1997 de 22 a 27 de abril, o Presidente Sr. LIKOTRAFITIS da Grécia, organiza um simpósio cultural no Peloponeso.

    26 de setembro a 1 de outubro, realizou o VII Congresso da UEP em Paris e Pau (França), organizado pela UNP, sobre o tema "Desenvolvimento de uma estratégia europeia na área do Mediterrâneo".

 

   Foi nomeado para a presidência executiva  o  Coronel  TERRAS MARQUEZ da UPP de Portugal

1998.-VIII Congresso da UEP, organizado pelo BDF em Schongau-Alemanha) durante os dias 21 a 26 de setembro.

      Tema do Congresso "as tropas aerotransportadas no século XXI" e "A necessidade de uma defesa europeia independente".

      O General ECKERT da Alemanha, apresenta a proposta dos veteranos polacos para aderir a UEP. Decisão a ser tomada no próximo Congresso. 

Sr. FRANÇOIS RABUT de França, é nomeado novo secretário-geral da UEP, substituindo o Coronel MICHEL REEB.

      É nomeado como novo Presidente da UEP,  o Sr. MAKIS KOUKKIDES do Parque (Chipre).

      Participou no Congresso como representante da delegação da FENASPE, Capitão CIFUENTES, pertencente à Brigada Pára-quedistas.

 1999 IX Congresso da UEP, durante o dia 25 a 31 de outubro em Nicósia (Chipre), organizado pelo PARC.

  Tema do Congresso 'Ajuda da UEP ao aumento inter europeu das actividades desportivas das associações nacionais'.

     A adesão do ZPS, associação de veteranos pára-quedistas polacos é aprovada por unanimidade.

     O General  F.ECKERT da Alemanha é nomeado novo Presidente do UEP.

  2000 desenvolve o X Congresso da UEP  de 6 a  12 de novembro em Salónica (Grécia) .

      Tema do Congresso "Balanço dos primeiros anos da U.E.P."

      O  General M. THEODOLY-LANNES, da UNP da França é responsável pela Presidência executiva.

   2001 11º Congresso da UEP, desenvolvido durante 9 a 14 de outubro em Cracóvia (Polônia).

      Como representante da FENASVPE esteve presente o  Capitão DESCALÇO PINO, da Brigada Pára-quedistas.

 Tema do congresso “ O papel da UEP numa europa em vias de unificação”

É imposto o laço da UEP no Guião da ZPS(Polonia) 

  O General J.Komanski da Polonia é nomeado presidente da UEP   

  2002. em Alcalá de Henares e em Madrid desenvolve o XII Congresso da UEP de 6 a 10 de novembro, organizado pela FENASVPE.

Tema do congresso “Paraquedismo, desporto Olimpico” 

     A pedido do General T. A.GALINOS FPFS da Grécia, a mudança para a nomeação do Presidente da UEP, deve coincidir com a organização de congressos. Decisão aprovada por unanimidade. Assume a Presidência da UEP, o presidente da FPFS da Grécia T. General GALINOS, organizador do próximo Congresso na Grécia.

  2003 XIIIº Congresso da UEP realizado de dia 28 de outubro a 2 de novembro em Thessaloniki e Lamia (Grécia).

      Tema do mesmo "O melhor para o futuro da UEP".

       A associação da Bélgica, envia comunicado com intenção de aderir no próximo Congresso.

       Açume a Presidência executiva da UEP, presidente do ANPd'I, C. SPERANZA.

 2004, XIV Congresso da UEP. Decorreu de 20 a 24 de outubro, em Lucca (Itália).   

       Tema do Congresso "Solidariedade da UEP na defesa e na luta contra o terrorismo na Europa".                                               

      Neste congresso é integrada a Associação Nacional de Paracomandos Vriendenkring (A.N.P.C.V.) da Bélgica e participaram como observadores a Áustria e Hungria.

       No que diz respeito ao tema principal, luta contra o terrorismo, ficou unanimemente acordado elaborar  um relatório afirmando o apoio moral da União Europeia de pára-quedistas para com os governos da União Europeia e um voto de pesar para com a Espanha, pelo tremendo golpe terrorista que aconteceu em  11 de março deste ano.

       O General CHRISTIAN PIQUEMAL no UNP da França, é nomeado presidente da UEP.

 

2005 - XV Congresso  da UEP realizada em 16 a 20 novembro em Toulouse (França).

      Tema do mesmo: "Atualização dos estatutos e regimento interno da UEP e eficiência em seu sistema de trabalho".

      Neste congresso é integrada na UEP, a Associação Fraterna dos húngaros pára-quedistas (F.A.H.P.).

      O General Almendra da Upp de Portugal, é nomeado Presidente executivo da UEP.

2006 a XVI Congresso da UEP celebrado em Cabeço de Vide (Portugal) de 20 a 25 de maio.

      Tema do Congresso: "O futuro das forças Paraquedistas, novas missões e sua versatilidade como tropas ligeiras e  específicas".  

Participaram todas as nações da UEP e a Áustria esteve presente como observador.

 As conclusões que foram alcançadas neste Congresso sobre o estudo proposto foram:

 -Manter as forças pára-quedistas em todas as nações europeias.

-Manter o espírito de"pára-quedista" permitindo que as suas unidades façam o que os outros não podem fazer.

-Incutir na juventude o espírito pára-quedista.

-Versatilidade das forças pára-quedistas.

-Crie uma escola de pára-quedista europeu comum, para unificar os procedimentos e estudos.

-Fazer chegar aos níveis mais altos de cada nação, a manutenção das forças pára-quedistas.

   O General  BERNHARD da BDF (Alemanha) foi nomeado presidente executivo da UEP.

     2007 -  XVII Congresso da UEP, realizado de 20 a 25 de outubro na cidade de Garmisch, Mittenwald e Altenstadt (Alemanha).

  O tema do Congresso foi o estudo de "O lugar e o papel das forças aérotransportadas e forças especiais, em um sistema europeu de defesa e segurança no ambiente atual, onde há terrorismo e guerra assimétrica no contexto da globalização".

  Foi eleito Secretário-geral da UEP,  o comandante ERIC FOULATIER da UNP de França.

   O presidente executivo da UEP para o próximo ano é o Presidente do ANPCV da Bélgica, TCOL. EMILE GENOT.

2008 - XVIII Congresso da UEP realizado em Bruxelas (Bélgica) 20 a 24 de outubro.

      Este Congresso não compareceu Portugal, porque os representantes da  UPP estavam envolvidos na repatriação de corpos, de pára-quedistas mortos na Guiné Bissau.

      O tema principal do Congresso foi "Como ser reconhecido pelas autoridades políticas e militares a nível nacional e Europeu de forma a transmitir as nossas idéias e sugestões ".

     Foram apresentadas várias propostas durante o Congresso. As principais foram:

     -Fazer uma grande assembelia a nível europeu de veteranos pára-quedistas.

     -Ampliar os membros da UEP.

     -Crie uma web da UEP.

     -Escrever a história dos pára-quedistas europeos.

     -Conseguir que os campeonatos de pára-quedismo da UEP sejam só de precisão.

    Foi nomeado presidente-executivo da UEP, o Coronel Boda, presidente da FAHP da Hungria.

Como visão geral,todos os congressos  começam com uma cerimônia de abertura numa Unidade Miliatar de pára-quedistas com a presença dos comandos militares.

  Com três sessões de trabalho, onde se desenvolve a agenda:

-Ata do Congresso anterior.

-Situação Financeira.

-Assunto do Congresso e propostas para o próximo.

-As atividades realizadas pela UEP naquele ano.

-Atualização dos estatutos e regulamentos.

-Aceitação de novos ingressos.

-Projetos para melhor informação.

-Designação do novo Presidente.

-Designação do local do próximo Congresso.

-Comentar sobre o campeonato de pára-quedismo realizado e proposta e designação para o seguinte.

-Etc...

  Visita a autoridades regionais ou nacionais.

   Visitar as unidades, geralmente, pára-quedistas.

   Passeios turísticos em torno da área onde é realizado o Congresso.

   Encerramento do Congresso com a entrega da bandeira da UEP ao novo Presidente, pelo que saí, perante as autoridades civis e militares e um jantar de gala, onde se trocam lembranças.

  Ao longo destes anos e sucessivos congressos, sem definir os mesmos, foram nomeados Presidentes de Honra da União Europeia de Pára-quedistas, as seguintes personalidades:

      SANDER Coronel K. H., da Alemanha.

     Tenente-General Thomas PALLAS SIERRA, Espanha.

     Geral ARNAUD DE FOIARD, da França.

     Tenente-General MALAMAS, Grécia.

     Coronel M. REEB, da França.

      A Secretaria-Geral da U.E.P. por acordo das Associações Nacionais, tem sua sede em:

      16 Coloque Dupleix

     75015-PARIS (França)

      Telefone: 01 40 560667 - Fax: 01 40 560875

        As línguas oficiais da UEP são: Inglês e francês.

 

  2009 - XIX Congreso de la U.E.P. decorreu de 21 al 26 de Setembro na ciudad de SZOLNOK (Hungría).

  O objetivo do mesmo, é reunir os representantes de diferentes associações nacionais que compõem a União Europeia de pára-quedistas.

           Participantes: Alemanha, (anexada à Alemanha) Áustria, Bélgica, Chipre, Espanha, França, Grécia, Hungria, Itália, Polónia e Portugal. Presidiram; o presidente executivo da U.E.P. e o presidente da FAHP,  Coronel BODA, secretário geral comandante Foulatier, tesoureiro Sr. Morin e o intérprete oficial.        

A delegação de FENASVPE esteve representada; por o Presidente Coronel Zaragoza, presidente da ASVEPACAN Coronel Rocha, comandante Valderrama de ASVEPAMUR e um membro da equipa da UEP e o General Iñiguez associado da ASVEPA-MADRID.

            No dia 22 de setembro, é realizada a cerimônia de abertura com o içar das bandeiras dos países membros da U.E.P.

                   Dentro das  actividades próprias da UEP, durante o Congresso foram desenvolvidos os seguintes temas, por várias delegações: história da União Europeia de pára-quedismo, que com a contribuição de cada país com sua história militar de pára-quedismo, resultará na edição de um livro com a história militar de pára-quedismo dos países membros da U.E.P.      

Relatório geral das atividades desenvolvidas neste ano, o relatório financeiro e propostas para o ano de 2010, o próximo presidente executivo, campeonato da UEP, XX Congresso e tema do mesmo.

           Próximo Presidente executivo; pela ordem prevista, cabe a Chipre, senhor Hadjinicolaou, presidente da União Cipriota de comandos reservistas, ser o próximo presidente.

           Campeonato de pára-quedismo da UEP, no Chipre, nas duas primeiras semanas de outubro de 2010.

           XX Congresso, também em Chipre, coincidindo com o campeonato de pára-quedismo e o tema a discutir será sobre a "Visão estratégica de U.E.P."

  Actividades militares: visita à base de helicópteros  de Szolnok, onde se realizou uma demonstração do MI-8, MI-17 e MI-24 e foi desenvolvida um tema sobre pára-quedista.

           Visita ao museu militar em Budapeste, prestando uma homenagem a os pára-quedistas mortos em combate perante uma lápide existente no Museu.

           Visita à Base Aérea de Kecskmet, onde nos mostraram a sua organização e as suas instalações.

           Uma visita a um museu militar ao ar livre, onde mostraram diferentes tipos de aviões, tanques, artilharia, foguetes e mísseis que pertencia às forças armadas húngaras e agora estão fora de serviço.

                    Actividades civis: recepção oferecida pelo prefeito de Szolnok. Visita a  Budapeste e ao Parlamento Húngaro

           Termina o Congresso com a cerimônia de encerramento, numa atmosfera de convívio e é entregue a bandeira da U.E.P. ao Presidente que assume as funções Sr. Hadjinicolaou, confiando-a Vice-Presidente à Polônia.                                       

  2010 XX CONGRESSO DA UNIÃO EUROPEIA DE PÁRA-QUEDISTAS

           Desde a sua criação a U.E.P. celebra uma conferência anual organizada rotativamente por cada um dos seus membros. Este ano o país anfitrião foi o Chipre e o tema aprovado no Congresso anterior tratava de estudar e por em comum as forças, debilidades, oportunidades e ameaças que possam afetar atualmente a U.E.P.          

A associação de veteranos pára-quedistas de Chipre foi responsável pela organização do Congresso com o apoio das autoridades do Ministério da defesa, do próprio Ministro em chefe dos comandos especiais e por prefeitos e entidades territoriais dos locais que foram visitados.

           A delegação de FENASVPE foi formada pelo seu Presidente, Tte. General Alaman, comandante Valderrama (equipa de trabalho com a UEP e intérprete), Capitão Garcia Montes Presidente da ASVEPA-Sevilha e O Cabo Romero da ASVEPA-MURCIA.

O alojamento e as reuniões das delegações de 4 a 8 de outubro, foram num hotel em Larnaca, alternando com visitas culturais e conferências de interesse político-militar onde se manifestava a preocupação pela parte invadida da ilha pela Turquia, enquanto se manifestava  fortemente a força da sua União Nacional ante  tal agressão, para repetidamente pediram apoio internacional e especialmente, nessa ocasião, ás nações membros da U.E.P. por intermédio de seus veteranos pára-quedistas.

Nas sucessivas sessões do Congresso, as várias representações nacionais foram expondo seus pontos de vista sobre os pontos levantados como objecto de tratamento em si, escrevendo no final do documento com as conclusões aceitas pela maioria, e que eles vão ser no futuro o que guia as atividades a serem executadas pela U.E.P.

Estas conclusões são resumidas como segue:

         -A força que mantém a U.E.P. manifesta-se pela unanimidade de todos os membros e pelos seus seus 20 anos de existência, o que faz uma associação credível que mantém atividades regulares e tem uma organização e estruturas que demonstram a sua capacidade, dentro da Europa, excluindo todos os aspectos da ideologia filosófica, religiosa e política.

  Em sua vocação federativa  a UEP transmite valores como o espírito pára-quedista, o sentido de honra, dever e solidariedade, apesar das diferenças históricas e militares dos países que a compõem.

        Colaborou na construção de uma Europa unida em um mundo livre.

        Durante os seus congressos permite desenvolver certos tópicos de discussão e aprender sobre os países e exércitos dos seus membros, bem como as organização de campeonatos desportivos de pára-quedismo.

         -FRAQUEZAS da UEP, opinião unânime, foram os seguintes:          

       . A U.E.P. é pouco conhecida nos países membros e nos outros europeus.

       . Informação e promoção não é suficientemente desenvolvido. Carece de um escritório central, website e um boletim informativo.

       . O custo da organização dos Congressos é muito caro.

       . Não existem outras atividades comuns fora da conferência e competições  anuais.

       . Desde 2006 que não foram incorporados novos membros.

       Referido por um dos membros:

       . Os campeonatos são caros e faltam de interesse.

       . Não há nenhum contato com outras associações não pára-quedistas.

       . Falta uma estratégia comum da U.E.P.

       . Certas decisões não são executados.

       . As diferenças entre países são grandes.   

 

OPORTUNIDADES, estimadas por todos:

       . Aumentar o número de membros, ter contatos com a Rússia, Inglaterra e Holanda.

       . Possibilidade de participar de cerimônias e paradas militares de todos os países.

       . Possibilidade de transmitir a sua experiência nas unidades de pára-quedistas e auxiliar no recrutamento

 

. Possibilidade de participar em desportos e competições civis e militares.

      -AMEAÇAS:

        . Diminuição ou desaparecimento das unidades pára-quedistas dificulta  a renovação das associações de veteranos e o recrutamento de jovens para as mesmas, por conseguinte, aumenta a idade de seus membros.

        . A crise econômica atual impõe limitações.

        . Após duas décadas de existência, baixa auto satisfação.

        . A perda de alguns dos membros atuais seria insatisfatória.

           A atmosfera geral de falta de disciplina, espírito antimilitarista e a existência de outras organizações com objetivos similares..

 

.      -PROPOSTAS:

        . Aumentar as actividades entre associações de vários membros para facilitar a proximidade geográfica.

        . Ser reconhecido pela OTAN e a UE.

        . Criar um site com informações trimestrais.

        . Aprovar o tema de cada congresso no Congresso anterior.

        . Organize uma  grande assembleia de dois dias em 2012.

        . Reconsiderar a competição de pára-quedismo.

        . Apresentação de membros honorários.

        . Organizar uma demonstração em memória da Operação de Creta operação em 2011 com a possibilidade de saltar em Maléeme (Grécia).

 

 -CONCLUSÕES FINAIS:

        . A associação U.E.P. permite ter contatos com veteranos das prestigiadas unidades dos vários países membros, todos com experiências de guerra nos principais teatros da II GM. O seu espírito interior e reconhecimento externo de seus exércitos e nações, torna um fórum muito interessante para FENASVPE.

         .O próximo congresso  anual será organizado pela Polónia e em 2012 caberá à Espanha a sua organização. Isso significa que, durante o ano de 2011, o Presidente da Associação Polonesa será o presidente executivo da U.E.P. e Espanha assumirá a Vice-Presidência e a Presidência Executiva em 2012, quando deve organizar o Congresso em outubro, e nessa altura levará a proposta correspondente. 

 2011 - XXI Congresso da União Europeia de pára-quedistas (U.E.P.), na primeira semana de outubro realizou-se em Cracóvia a XXI conferência anual da UEP participaram dez associações nacionais de veteranos pára-quedista, pertencentes à União: (Alemanha, Áustria, Bélgica, Chipre, Espanha, Grécia, Hungria, Polónia e Portugal), a UNP de França não pôde comparecer porque as datas do Congresso coincidiram com a festividade de S. Michel , Padrão de pára-quedistas franceses.   

Estiveram presentes pela representação espanhola o  Presidente Tte. G alaman, acompanhado do Cmte. Valderrama da ASVEPA-MURCIA.

         Os nNossos camaradas polacos conseguiram, com grande sucesso, os objectivos estabelecidos para este Congresso. Tanto para o compartilhamento das apresentações feitas por delegações nacionais sobre o tema proposto para o congresso XXI  da UEP, como pela atmosfera de camaradagem que desenvolveu e a oportunidade de aprender algo mais e melhor a história da Polônia e o presente da sua realidade, seu caráter e seu potencial como uma nação no coração da Europa

Como prova de interesse da UEP em acompanhar as unidades de pára-quedistas e capacidades em cada uma das suas nações, bem como ajudar a manter um espírito pára-quedista em todos eles, os anfitriões deste ano proposeram como tópico de discussão o seguinte: "a contribuição das unidades de pára-quedistas e forças especiais na manutenção da paz no mundo estabilização e resgate no século XXI"

Após a exposição por cada uma das delegações de: organização, preparação, disponibilidade e versatilidade que têm as unidades de pára-quedistas em suas respectivas forças armadas, juntamente com a manutenção de seu espírito específico e comum em todos os pára-quedistas, concluiu-se que:

"A sua participação é fundamental para o sucesso das missões que são atribuídas aos exércitos desde o início deste século e que se presume para o futuro imediato. E não se deverá excluir a possibilidade de serem  empregues em operações convencionais, aproveitando todas as suas capacidades operacionais e seu espírito de combate"

"Como é tradicional desde o primeiro Congresso da UEP, além da exposição, discussão e implementação dos trabalhos apresentados sobre o tema para debate todos os anos, a reunião tem a grande importância de encontrar antigos camaradas e a oportunidade de conhecer novos que passaram, o ano anterior, a ser responsável pelas suas associações. Em suma, viva o espírito pára-quedista, que não só mantém mas aumenta com a idade e é reforçado pelos nossos concidadãos europeus.

          Também é importante tirar proveito, do pouco tempos que dispomos, para aprender ou para expandir o conhecimento do país de acolhimento e suas forças armadas. Questão que todos os organizadores se  preocupam com muita atenção.

          Nessa ocasião o ZPS (Associação de veteranos pára-quedistas da Polônia), ajustou o programa para podemos passar metade do dia (incluindo jantar), com a sua unidade de pára-quedista, localizada nas proximidades de Cracovia.

Além da cerimônia de abertura do Congresso com hastear da Bandeira e interpretação do hino, visitamos o Museu, dedicado especialmente à II Guerra na quql participaram os seus antecessores e podemos contemplar uma exposição do material atual disponível para a unidade. Tendo a possibilidade de falar diretamente desde o General da Brigada até ao SubOficial chefe uma secção equivalente a uma das nossas de desembarque aéreo. Como em Chipre, no ano passado, tivemos a sensação de que o espírito pára-quedista não tem fronteiras.

         Como parte final das actividades incluídas nestes congressos, podemos visitar o Castelo de WAWEL, o centro nevrálgico da cidade antiga de Cracóvia, magnificamente preservado e testemunha fiel de uma parte importante da história da Polônia.

          Após uma visita à mina de WIELICZKA, a cerimônia de encerramento teve lugar no Castelo de NIEPOLOMNICE, sede da autoridade Municipal da cidade, com o arriar das Bandeiras Nacionais e da União Europeia, terminando o ato com a passagem da Presidência executiva da UEP  pelo Presidente da ZPS, General Kempala para o Presidente da FENASVPE Alaman geral.

          Consequência deste ato, de outubro de 2011 a outubro de 2012, a Espanha assumiu a Presidência tendo a responsabilidadede  de propor o assunto a debater, a organização o próximo Congresso e Campeonato em Espanha. Com este desafio os veteranos pára-quedistas, propoem-se trabalhar a fim de permitir que a sua reputação esteja  à altura de sempre  

     

2012-XXII Congresso da UEP

 A 3 de outubro, começa o XXII Congresso da UEP. No final da tarde com toda a organização, com as delegações e equipas presentes, realizou uma recepção onde trocaram saudações e foi dada as boas-vindas pelo Presidente do FENASVPE, TG. ALaman.

 A Itália não esteve presente porque estavam na celebração, no Egito, por ocasião do 70º aniversário da batalha de El Alamein.

 Posteriormente passou-se para a sala de jantar e foi apresentada a delegação da Espanha responsáveis pela organização do Congresso e as respetivas equipes chefiadas pelo Coronel Aguilar e do Campeonato pelo CTE Macorra.    

Depois do jantar foi realizada a reunião do campeonato com a presença dos juízes e dos concorrentes.

 XXII CONGRESSO DO UEP. Em 4 de outubro iniciou-se o Congresso com uma primeira sessão de trabalho na Residência La Plana com um minuto de silêncio em memória daqueles que morreram no ano passado.

O tema principal desta conferência é o estudo "Análise crítica do funcionamento da UEP durante os seus 22 anos de existência" com  cinco pontos principais: - 1. Objectivos alcançados em 22 anos. -2. Objectivos definidos na sua constituição. -3. Objectivos abandonados neste momento. -4. Novas metas e prazos para alcançá-los e - 5. Conclusões e propostas.

Após esta primeira sessão, mudou-se para Bétera onde no Quartel general  terrestre de alta disponibilidade foi feita a abertura oficial, presidida pelo TG. Chefe e o Presidente executivo da UEP e da FENASVPE. Com as honras correspondentes, içaram as bandeiras de todas as Nações da UEP e da União Européia e uma cerimônia em memória de todos os mortos desta organização.

 Estiveram presentes diferentes comandantes espanhóis e estrangeiros do CG, várias autoridades e uma representação da ASVEPA-Valência com a presença do seu presidente..

Prestaram as honras uma companhia, acompanhados de uma fanfarra.

     Uma conferência sobre a organização do Quartel General Terreste de Alta Disponibilidade, com a exibição de diverso material e copo de vinho espanhol com entrega de lembranças para as delegações, termina a manhã, para novamente retornar a Castellon e realizar a segunda e a terceira sessão de trabalho sobre a residência.

 As esposas dos  Membros de delegações, visitaram  Valencia, almoçando na companhia do Presidente e parceiros da Comunidade Valenciana.

 Em 5 de outubro, durante a manhã continou-se com a quarta e quinta sessão de trabalho, desenvolvendo a agenda estabelecida.

     Finalizadas estas sessões partiu-se  para a cidade de Morella para fazer uma visita, apresentar os cumprimentos  na prefeitura e almoçar em Casa Roque, restaurante típico, na mesma cidade.

     Regressou-se a Castellón passando pelo Aeroclube, onde nas suas instalações,  estáva a decorrer o campeonato de pára-quedismo, onde se pode assistir à prova de precisão individual e exibição de pára-quedista.         

    Em 6 de outubro, sexta e sétima sessão com as propostas e conclusões do Congresso e eleição para novo presidente executivo da UEP, que corresponde à Grécia, recaindo no MG. Eleftherios Mayroudis e como Vice-Presidente o Presidente da ANPd´I, da Itália.

  Foram apenas quatro dias, mas com tanta atividade pareceram muitos mais. Sobre o tema a tratar, ficou acordado unanimanente, elaborar um documento final com a resolução dos procedimentos a seguir pela UEP, para melhorar e manter os objetivos obtidos nos últimos anos, mas também marcando outros novos de forma a serem  alcançándos, distribuindo tarefas aos membros dos países que terão que liderar o trabalho correspondente. 

2013 - XXIII CONGRESSO DA UNIÃO EUROPEA DE PARAQUEIDISTAS

          Confirmado que foi o XXIII Congreso da U.E.P. que se celebraría em Atenas durante os días 16 e 21 de Otubro do presente ano, a  FENASVPE determinou que o Vice presidente Col. Aguilar seria representado pelo  Cte. Valderrama da ASVEPA-MURCIA, como membro do grupo de trabalho da U.E.P.         Devido a problemas de saude do Col. Aguilar, ficou, também, decidido que o Cte. Macorra o representaria junto do Conselho Assessor da Federacão. O associado da ASVEPA-MADRID, Sr. Reyes Olivencia e as esposas dos Comandantes, também foram como acompanhantes-visitantes, assumindo, estes, os custos propostos pela organizacão.

          Na tarde do día 16, segundo os horarios previstos, as delegações foram recibidas no aeroporto de Atenas, sendo depois transportadas para o hotel Dorian Inn, situado no centro de Atenas onde ficaram alojadas todas as delegações e organizacões do Congresso.

    Pelas 19H00 o General  Mavroudis, como  Presidente da FPFS e organizador do Congresso, cumprimentou as delegações, a Itália não tomou parte, desejando as boas-vindas e acertou-se os horários e programas para o dia 17, e fez-se a entrega da respetiva documentação, terminando o dia com o jantar no hotel.     

Dia 17 as delegações foram transpoprtadas de autocarro para a sede da escola de comandos, cerca de 50 km de Atenas, para a cerimônia de abertura do Congresso, que foi presidida pelo General Chefe das forças especiais, com a presença da Banda e uma Companhia armada e uma representação militar, fora da formação e o guião da UEP acompanhado dos Guiões do centro e todas as Bandeiras da UEP, incluindo a da Austria e U.E. foram içadas ao som do hino nacional. Para finalizar o ato, na cafetaria de Oficiais, foi oferecido um refresco.

Aproveitando este tempo para a entrega do metope do Congresso em gratidão pelo apoio recebido pelas autoridades militares.

        De seguida foram, as delegaões, transportadas até ao clube de oficiais em Atenas, onde as sessões de trabalho e refeições se iriam desenvoler. Antes da primeira sessão, visitou-se o Museu bizantino, localizado ao lado do clube.

          A primeira sessão de trabalho começou com as palavras de boas-vindas proferidas pelo Presidente executivo da UEP, GB. Mavroudis,com a  apresentação de slides em inglês e texto difícil de ler por causa de seu tamanho e distância.

Depois, continuou, um reverendo que apresentou os cumprimentou em nome do Bispo de Constantinopla. Seguidamente o General de Brigada Papavlasopoulos, 2º chefe das forças especiais gregas, deu uma conferência sobre "as capacidades futuras das unidades de forças especiais e defesa europeia no futuro"

Contínuou-se com a leitura, pelo secretário-geral da UEP dos trabalhos do presente ano e informa que expirarou o período de 3 anos e de acordo com os regulamentos deve apresentar a demissão, embora esclarece a sua prontidão para uma nova reeleição como está também prevista no referido regulamento, a qual  é aceito por aclamação.

          O tesoureiro apresentou o relatório económico anual que é aprovado por unanimidade.

         A refeição foi tomada no clube e depois, é houve uma visita ao Museu de guerra, localizado nos arredores.

 À tarde, na segunda sessão apresenta os trabalhos das diversas nações exceto a França, que esta referenciado no documento do secretário-geral da UEP e Itália pelas razões expostas na carta de seu Presidente, que é do conhecimento da Presidência da FENASVPE.

A Áustria disse que tinha duas associações de veteranos, que não se dão bem, que estão tentando a sua união para ver se eles aceitam entrar para UEP e aproveitar a mudança do Ministro da defesa para os apresentar e tentar conseguir apoios. Em 2014, querem ser membros ativos da UEP.

  Alemanha quando concluiu a exposição, propõs o seguinte tema para o próximo ano de 2014: "Forças aerotransportadas, airmoveis e forças de operações especiais na Europa".

          Finalizada esta segunda sesión de trabajo se realiza el traslado al hotel para  la cena siendo acompañados por el Ministro de Cultura sin protocolo alguno. Es veterano paracaidista y apoya económicamente a la FPFS.

   Dia 18, de volta ao clube de oficiais onde nesta terceira sessão se trata do relevo da presidência  da UEP que devido à ausência de Itália se vive uma situação sem  precedentes na UEP. Pergunta-se se há lguma nação que se ofereça para assumir a Presidência. A Alemanha solicitou tempo para consultar a sua delegação para saber se é possível aceitar. Finalmente, considera-se que há uma chance de 95% de levar por diante com os mesmos termos que este Congresso: 4 dias, 2 delegados convidados por nação, mas o Campeonato de pára-quedismo permanece sob consulta.      

Sobre a proposta apresentada pela Itália, numa carta enviada anteriormente à Presidência Executiva, apresenta uma série de alegações para justificar a sua ausência do Congresso (não esteve presente em Castellón em 2012), a parte do formulário da proposta como observador, entre outras, são rejeitadas. Será enviada uma carta da Presidência, pedindo-lhes para refletir e repensar a sua permanência na UEP.

Continuando a sessão com a exposição do grupo de trabalho, onde o GB. Boda Presidente da Federação húngara, expõe as conclusões respectivas. As delegações têm 3´ para comentar. Segue-se uma linha com poucos objectivos  realista e de difícil alcance sem estar dotado dos meios necessários. Fixam-se  quatro pontos a serem desenvolvidas, para tal são designadas diferentes nações, Espanha foi designada para tratar do "O problema econômico" e um quinto em relação a extensão da UEP que será Chipre. Para o desenvolvimento deste trabalho é acordado que  antes do final do ano o trabalho deverá ser enviado ao presidente executivo, secretário-geral e todas as associações nacionais.                

Propôs-se uma reunião de todos os presidentes em Budapeste, 22 de fevereiro/23, 2014 com dia de chegada saída 21-24, para apresentar o desenvolvimento real dos pontos propostos anteriormente.  Comentou-se que a FENASVPE comemora sua assembleia geral a 22 e a celebração do aniversário a 23, sendo contestado  porque também é a data do Congresso da Associação húngara, que têm tudo planeado para aqueles dias e não pode modificá-los

. Depois do almoço, continuou-se com a quarta e última sessão de trabalho onde é assinado por cada presidente ou representantes, o documento a ser enviado para a Itália.

          Hungria apresenta um estudo sobre a capacidades de defesa da UE.

          Comenta-se que estão pendentes várias mudanças das presidências nacionais: Espanha, Hungria, França e Grécia.         

O General Mavroudis entrega o metope da conferência a todas as delegações e estes por sua vez entregam uma lembrança para a Federação Grega, recebendo em cada mesa de trabalho das delegações, outras duas métopas.

          No mesmo clube dos oficiais, antes do jantar, efetua-se a tomada de posse da Presidência executiva da UEP com a entrega do guião ao General Bernhardt, Presidente do BDF da Alemanha, que assume durante o restante do ano até o próximo Congresso em 2014. Preside à cerimônia e ao jantar, o Tenente General chefe da região.

          Dia 19 e 20 são dedicados para visitar;  a Acrópole de Atenas, o Museu Nacional de arqueologia, o canal de Corinto, Micenas, Epidavros e Naoplia, parando em alguns municípios, convidados pelas autoridades, sendo recebidos com respeito e afeição.

 

RESUMO:

     Desfrutou-se de uma requintada hospitalidade em todos os momentos. Preocupações sobre a falta de meios de comunicação social e a situação económica actual, não foram obstáculo para, com um grande orgulho e esforço, organizar um Congresso de um elevado nível, de competência e eficiência e tenacidade, sendo um exemplo para o resto da UEP e um modelo social que compartilha a maioria de países ocidentais.

     As deslocações a Barajas, foram feitos pelos  seus próprios meios.

                   Galeria de fotos pela CTE Valderrama.

 

2014 XXIV CONGRESSO DA U.E.P.

O Congresso realizou-se entre 12 a 16 de outubro em Hammelburg, uma cidade na região da Francônia, famosa pelos seus vinhos brancos, localizada no limite Este do Estado da Baviera. A escola de infantaria do exército alemão está localizada nas proximidades.

Dia 12 à noite, no hotel onde ficaram alojadas as delegações nacionais, realizou-se uma recepção de boas vindas, seguido de jantar. A delegação espanhola era composta pelo General Buesa, presidente da FENASVPE e o Cte Valderrama, Secretário para os assuntos da UEP.          

Segunda-feira, 13, na Praça principal, da escola de infantaria, foi realizada a cerimônia de içar das bandeiras das Nações presentes e da União Europeia, com a presença de uma unidade de honras e uma banda que tocou os hinos nacionais durante o içar de cada bandeira. Posteriormente, o General Director ofereceu um café, dirigindo algumas palavras de boas-vindas e cumprimentos a todos.

No Congresso participaram, como observadores e futuros membros da UEP, membros de uma delegação holandesa, chefiado por um Tenente-Coronel, chefe de batalhão da brigada de pára-quedista, em consonância com o desejo de ampliação expresso repetidamente pelo Presidente da União.

De seguida, começaram as atividades do Congresso, com duas apresentações iniciais sobre a organização e atividades da escola de infantaria sobre a recém-criada divisão de forças de reação rápida , integrada pela brigada de operações especiais (pára-quedista) e três batalhões aieromoveis (helicóptero) alemães e a brigada Aerotransportada (pára-quedista) Holandesa.

Seguidamente, houve outras duas apresentações, também de carater informativas sobre o comando da aviação europeia de transportes (EATC), como um exemplo de integração de unidades de países europeus e sobre a situação no Afeganistão.

Entrando nos trabalhos do Congresso e após as boas-vindas dadas pelo General Bernhard (anfitrião) e a apresentação das delegações presentes, começou com Portugal, Polónia e Itália as apresentações de cada nação sobre o tema "missões das unidades de pára-quedistas, aerotransportadas e de operações especiais para melhorar a cooperação europeia e a SMARTDEFENSE"

(SMARTDEFENSE é uma forma de cooperação e de pensamento para a gerir as capacidades de defesa necessária, pela NATO, para o futuro).

Posteriormente, realizou uma visita guiada ao Museu da escola, terminando o dia com uma recepção pelo prefeito da cidade, seguido de uma degustação de vinho e jantar.

 

No dia 14, em primeiro lugar, foi apresentado o rascunho de um artigo para ser incluído na Wikipédia, sobre a UEP e a lista de propostas para a nomeação de membros honorários da U.E.P, entre os quais se inclui o CTE. Macorra.

Posteriormente continuou a apresentação de trabalhos pela Hungria, Grécia, França e Espanha.

SEguidamente todos os assistentes foram transportados de autocarro para WÜRZBURG, capital da Baixa FRANCÔNIA, onde, depois de um típico almoço numa cervejaria, se visitou a Fortaleza Marienberg e se fez uma visita guiada à cidade

O dia terminou com um jantar, no castelo (Buchold), oferecido pelo  General Vice-Presidente da Associação de veteranos pára-quedistas da Alemanha.

Durante a manhã do dia 15,terminaram as apresentações dos trabalhos de Chipre e da Alemanha. Em seguida, foi elaborado o relatório Final do Congresso  e foi aprovado o texto final do artigo para a Wikipédia.

Ao mesmo tempo, as delegações foram preenchendo o calendário de 2015 com as atividades mais importantes das associações de veteranos. A Espanha icluiou o 23 de fevereiro  e o encontro de  veteranos  prevista para o mês de junho."

 Posteriormente votou-se a nomeação dos propostos para membros honorários da U.E.P. e a aceitação do pedido da Áustria para aderir à União.

À tarde, realizou-se uma visita às instalações da escola de infantaria, com apresentações de armas, materiais e equipamentos de simulação.

Antes de finalizar o Congresso, realizou-se o jantar de despedida durante o qual foi nomeado o presidente executivo da U.E.P. para o ano 2015, com a entrega do guião pelo General Bernhard (Alemanha) ao General Caille (França) que representa o Presidente da U.N.P.

Ambos os generais, fizeram os seus discursos. O primeiro agradeçeu o esforço e o trabalho de sua equipa e da escola de infantaria pela organização do Congresso e dirigiu uma palavra a todas as delegações. O segundo, expôs os projetos U.N.P para a Presidência e para o próximo Congresso.

No dia 16 as delegações retornaram aos seus países de origem.

 

 

Bibliografia: Site da FENASVPE

 

2015 XXV CONGRESSO DA UEP - FRANÇA-PARIS

 

 

 

 

Registo no evento

Por favor preencha os seguintes campos: